quinta-feira, 10 de julho de 2008

"Sobre estar só..."


Eu tenho propriedade para falar sobre solidão. O que vocês esperariam de alguém que vive dentro dum quarto?
A princípio, devo dizer que ficar só não é ruim. Toda essa novela que fazem sobre a tragédia da solidão é balela. Uma desculpa muito da sua esfarrapada para vender revistas de temática adolescente ( com dicas de como “causar” na “balada”, arrumar um “gatinho” ou como medir a temperatura do namoro) e as próprias novelas (nos finais, nem o vilão fica sozinho, pois ele sempre morre...).
Cheguei à conclusão de que o que torna os solitários marginalizados são os não-solitários. A culpa é sim do casalzinho de namorados da pracinha tomando sorvetinho e falando um com o outro no diminutivo. A culpa é do casal de velhinhos de “Último romance”. É do Rodrigo Amarante que não tinha nada pra fazer e compôs essa música. A culpa é dos compositores e poetas que compõem sobre a solidão! Sempre fazem dela um suplício! E eles sabem lá o que é ser só?
Pois eu sei. E é uma maravilha, tá? Não divido banheiro com ninguém, por exemplo. Fico imaginando a cena com alguém abrindo a porta do nada. Nada contra, só acho que é uma questão de química. Os cientistas dizem que o cheiro conta muito nos relacionamentos... Pois é. Posso fazer minhas necessidades tranqüila, sem ninguém pra me incomodar. Nem pra dizer que eu sou bonita, ou que eu fico melhor sem maquiagem, ou que eu pareço um anjinho dormindo...
Vou ao cinema só. E é bom, ninguém me atrapalha. Não fazem comentários no fim (comentários do fim não servem pra nada, pois nunca mudam os fatos da história. Não sei pra que isso), não pedem minha pipoca nem meu refrigerante. O negócio pega é quando o filme é chato. Já tentei engatar uma conversa no meio de um filme chato (“Consegue ver as horas?”)... Nunca façam isso. Levem alguém com vocês. A namorada dele pode não gostar...
Eu cozinho pra mim mesma! Olha só, que mágico. Meu macarrão é muito bom. Elogio sempre. Engordo sozinha também.
Meus sentimentos, eu não divido. As alegrias das boas notas da faculdade, dos elogios ou da felicidade expressa (aquela que dura um dia) são só minhas. Deixa comigo, eu saboreio só. As tristezas é que são meios indigestas... É preciso um estômago de avestruz de vez em quando. Ou alguém pra compartilhar.
Tenho muitos momentos para refletir. É bom ter um tempo para si. Você observa onde está errando nos seus relacionamentos. E como eu não tenho nenhum, sobra mais tempo pra eu ficar me perguntando por que eu sou tão solitária.
Ó. Aí veio de novo. A mania de se rebaixar porque é sozinha... Nada a ver isso. É muito legal ficar só. Viram que vantagens?
Tá, eu percebi sim. As desvantagens têm um tamanho descomunal. Eu sei disso. Mas vejam só o lado bom. Para desfrutar das vantagens integralmente, é até preferível saber de cor as desvantagens! Desbravá-las sem medo. No fim, você se torna merecedor de todas as vantagens, sendo que já passou por todas as duras e catastróficas desvantagens. Ei! Peralá! Isso é uma vantagem! He, he... Tentador, não? O que vocês acham de entrar pro clube, hã? Maravilha, hein? Todo mundo sozinho, curtindo... O que vocês acham? Não estou ouvindo... Cadê vocês? Hein? Podem falar mais alto, tá?
Alguém?
...

3 comentários:

Lara disse...

Oi Naiara (querida,e redundante)(eu!!)
Obrigada e aceito sim como um elogio brutal (*

Vou passar por aqui também pra curtir a solidão dos outros,quando a minha não bastar (viu,viu pedindo pra ter pena!!)hashashhashasha

Abraços

Lara

João disse...

Cai de pára-quedas aqui, desculpe.
As paredes do meu quarto tbm são verdes; lí a palavra "alma de borracha" certa vez no segundo volume do livro mais famoso de Dostoievski (e ninguém me tira da cabeça a idéia (real e palpável) de que tenha sido de lá que Lennon tirou o nome do álbum); Beatlemaníaco graças a Govinda (Hare!) e Último Romance é, realmente, coisa linda.
Parabéns pelo blog, boa sorte e bem vinda!

www.unjob.blogger.com.br

PedroNegro disse...

huuuummm... gostei muito mesmo. quase tudo.
mas antes de tudo tenho que colocar, aqui, meu trecho preferido dessa odisséia solitária que parece crise de adolescente gótico, nai - just kidding, chér! hauaha
"Pois eu sei. E é uma maravilha, tá? Não divido banheiro com ninguém, por exemplo. Fico imaginando a cena com alguém abrindo a porta do nada. Nada contra, só acho que é uma questão de química. Os cientistas dizem que o cheiro conta muito nos relacionamentos..."

bróder, gostei tanto e é uma verdade.
mas assim, eu não gosto de ser sempre sozinho. tem momentos que me fazem sempre querer estar sozinho. é coisa de quem tem personalidade bipolar... ou melhor, falta de personalidade. assim como eu, manja, brow?!
o que interessa é que não gosto de ser sozinho pelo simples fato de eu sempre estar querendo - muito intesamente - escravizar quem eu gosto. eu gosto de maltratar mesmo.

beijo meu ônibus tá vindo. deixa eu correr!

p.s.: esse cometário foi escrito, em parte, comigo olhando pros nada sensuais peitos da (chu)paris hilton! hauahua