domingo, 3 de agosto de 2008

da série "detalhes"- O CHATO DA SOLIDÃO


- Não some mesmo em multidões.
- Cama cheia, coração vazio.
- Barulho de trânsito.
- Monólogos.
- Dieta de segunda-feira: nunca mais beber, fumar, praticar exercícios, quem sabe um grande amor e consumo de carboidratos complexos (aquela bobagem de arroz e pão integral...)
- Cinzeiro cheio
- Whisky barato.
- Cantadas baratas.
- Auto-estima de borracha.
- Comida pronta.
- “O diário de Bridget Jones” (1 e 2) ou qualquer comédia romântica, com direito a pipoca, brigadeiro, guaraná e vodka.
- Adriana Calcanhoto e todas as suas músicas.
- Insistência alheia para você “baixar o nível de exigência”
- Teimosia sua de não aceitar conselhos.
- Debochar da própria condição.
- Na pior das hipóteses, aceitar a própria condição.
- Tomar café com Renato Machado
- Dormir com o Jô Soares.
- Não sair de casa sem as palavras de Ana Maria Braga.
- Terreno fértil da carência.
- Escrever em blogs.

Toda solidão é incorrigivelmente chata.

2 comentários:

Heliana-tradutora disse...

ahahahaha dormir com o jô é ótimo,.ele me mata de rir....e ana maria acorda a gente!

PedroNegro disse...

que coisa, né?

dormir com o jô é... assim... foda!
mas 'foda' de ser uma m***
ele é intragável, faz uns movimentos com a boca como se tivesse comendo algo que, definitivamente, me irrita; me enoja. credo!

mas esse teu texto tá tri massa!